fbpx

Saiba o que é gestão fiscal e qual a sua importância para o negócio

O Brasil já é conhecido por ter uma das cargas tributárias mais complexas e frequentemente passa por aumentos que prejudicam as empresas brasileiras. Diante de tamanha dificuldade de entender e manter o negócio em dia que a gestão fiscal se faz peça fundamental da sobrevivência do seu empreendimento.

Esse é um acompanhamento que vai muito além de somente prestar contas à Receita Federal e de pagar tributos por suas atividades. A gestão fiscal é uma atividade que envolve desde a identificação de melhores estratégias para que não gaste mais do que precisa com obrigações fiscais até o cumprimento de leis para que não sofra com multas e demais penalidades.

Pensando nas principais dúvidas sobre o assunto, preparamos este conteúdo. Nele, entenderá o que é a gestão fiscal e como manter a sua empresa em dia com os impostos brasileiros. Acompanhe!

O que é gestão fiscal?

A gestão fiscal é um conjunto de processos, ações e atividades voltadas para a administração das questões fiscais pagas por uma empresa e das obrigações que precisam ser informadas ao Fisco.

Esse é um procedimento que deve ser feito por todo e qualquer tipo de negócio para que se mantenha em dia com as suas obrigações fiscais. Essa é também uma estratégia para desenvolver medidas de gestão de custos e diminuição dos gastos com questões tributárias e fiscais.

Um dos principais e mais graves problemas que uma empresa pode enfrentar é a não adequação e entendimento da elevada carga tributária. Esse é um cenário que afeta todo o funcionamento do seu negócio. Afinal, interfere na saúde financeira da empresa e, consequentemente, em seu funcionamento e crescimento.

Como a gestão fiscal funciona na prática?

A gestão fiscal é orientada por dois principais processos. O primeiro é o pagamento e apuramento das taxas, impostos, contribuições e obrigações acessórias. Já o segundo são sobre as emissões de documentos e envio das informações obrigatórias aos órgãos competentes.

Entre esses dois conjuntos de ações gerenciais, temos as análises de dados, o desenvolvimento de estratégias para minimizar gastos financeiros e demais atividades que visam o ponto de equilíbrio contábil. Além disso, é na gestão fiscal que são coletados dados imprescindíveis para orientar um diagnóstico empresarial, principalmente quando o negócio não cresce e não se sabe o motivo.

Todo o processo da gestão fiscal começa na escolha adequada entre os regimes tributários de acordo com o seu faturamento anual e as atividades exercidas na empresa. É necessário que os responsáveis por esses processos sempre se atualizem sobre as leis, já que elas mudam constantemente. Caso contrário, a empresa poderá ser penalizada por falta de dados, omissão de informações ou até mesmo atraso na prestação de contas.

Depois disso, é feito um planejamento tributário que é fundamental para que consiga reduzir, de maneira legal, o dinheiro gasto com tributos. Para que tudo esteja em dia e de acordo com as particularidades e da sua empresa, a gestão fiscal conta ainda com um calendário. A Receita Federal divulga a Agenda Tributária, porém ela é feita de maneira generalizada e, muitas vezes, não contempla datas específicas do seu negócio.

Então, todas as estratégias e tarefas seguem um cronograma personalizado de acordo com o ano-calendário do seu negócio, datas e prazos estaduais, municipais e federais que estão de acordo com as suas atividades. Isso evitará, além das multas, que tenha o cancelamento das Certidões Negativas de Débitos (CNDs) e que passe a ter pendências fiscais. Aliás, muitas deles impedem que faça mudanças na sociedade da organização e outras alterações administrativas.

Como fazer uma boa gestão fiscal?

Antes de qualquer coisa, você precisa ter em mente que é necessário muito planejamento e organização para fazer a gestão fiscal. Para manter as suas obrigações em dia, facilitar o cumprimento de prazos e a sua organização com as obrigações fiscais é importante que atente a algumas boas práticas, como as que separamos, a seguir. Veja só.

Faça auditorias periodicamente

Um cenário comum nas empresas é o de resolver problemas somente em pequenas reuniões e conversas no dia a dia da empresa. Esse é um erro que impossibilita uma avaliação mais profunda e a identificação de desequilíbrios que estejam travando o crescimento do negócio ou que geram prejuízos, principalmente se tratando de questões fiscais e burocráticas.

Se na sua empresa ainda não há a cultura de se marcar e fazer auditorias, estabeleça datas periódicas para que esse exame sistemático e completo seja voltado para a análise de resultados, levantamento de problemas fiscais encontrados em cada setor e inconformidades em imposto e emissões e envio de informações tributárias.

Mantenha-se informado sobre os benefícios fiscais

Os benefícios fiscais são algumas isenções ou facilidades que algumas empresas podem usufruir. Essas possibilidades foram desenvolvidas pelo próprio governo, com o intuito de deduzir alguns impostos e reduzir a carga tributária. Assim, objetiva-se o aquecimento dos principais setores da economia por meio do incentivo de algumas ações que aumentam a lucratividade dos negócios.

Para fazer parte de algum programa de beneficiamento fiscal, você precisa se enquadrar nos critérios determinados pelos órgãos responsáveis. Os mais comuns são:

  • uso de capital de terceiros: utilização de créditos e financiamentos de terceiros para dedução do Impostos de Renda;
  • responsabilidade social: benefícios para as empresas que investem em projetos sociais e ações que melhoram as condições sociais, como lazer, esporte, palestras, treinamentos e campanhas voltadas para a melhora da saúde;
  • beneficiamento fiscal regional: tem o objetivo de minimizar as desigualdades sociais de alguns estados em relação a outros, como sul e sudeste.

Esses incentivos e beneficiamentos podem significar uma valiosa economia para a sua empresa, além da reputação que fortalecida perante o mercado, sociedade e governo. Por isso, é importante que se informe sobre esses requisitos.

Automatize a gestão fiscal

Com o grande e complexo volume de informações das empresas fica impossível manter todas as obrigações e acompanhamentos em dia de maneira manual. Quando falamos em automatização, também não estamos nos referindo ao uso de planilhas, pois elas são limitadas e ineficientes para processos tão importantes e complicados, como impostos, taxas e tributos.

Diante disso, investir em softwares e módulos que permitam automatizar, integrar e centralizar a emissão de documentos, coleta de dados e armazenamento de informações se tornou uma ação primordial e indispensável. Vale ressaltar que isso é fundamental tanto para a gestão fiscal quanto para os demais processos do seu negócio.

Registre, armazene e documente

Com o uso da tecnologia é consideravelmente mais rápido e prática armazenar e registrar movimentações financeiras, incluindo aquelas destinadas ao pagamento de impostos. Documentar, registrar e armazenar e toda e qualquer informação, entradas e saídas do caixa é essencial para identificar gastos, monitorar o crescimento do negócio, retorno dos investimentos e para ter orientação para as suas decisões.

Busque auxílio profissional

Se a empresa estiver desorganizada nas questões burocráticas e financeiras e os responsáveis não sabem por onde começar a estruturar a gestão fiscal, é indicado que busque auxílio de uma consultoria especializada no assunto. Os profissionais certos farão um importante diagnóstico de toda a situação para que o oriente sobre o melhor caminho a ser seguido de acordo com a realidade, resultados e histórico da empresa,

Qual é a importância da gestão fiscal?

A importância da gestão fiscal se dá em dois principais âmbitos: a influência da carga tributária no seu negócio e do cumprimento das leis vigentes. Esse é até mesmo um diferencial competitivo em relação às empresas desorganizadas, que podem apresentar problemas junto à Receita Federal e dificultar o crescimento.

Além disso, o acompanhamento e gerenciamento fiscal garante a otimização das suas obrigações. Em outras palavras, permite que a sua organização cumpra com todos os pagamentos e envio de informações de maneira prática e sempre dentro dos prazos. Lembrando que essa é uma gestão fundamental em todos os momentos de uma empresa, desde a sua abertura.

Quais são os benefícios da gestão fiscal para o negócio?

É fato que muitos empreendedores não investem tempo e recursos na gestão fiscal por desconhecerem os benefícios para a empresa. Entenda os principais impactos positivos de gerenciar, planejar e organizar todos os assuntos fiscais do negócio.

Maior controle gerencial

Como dito, as taxas, tributos, impostos e demais questões fiscais têm impactos em todos os setores e atividades de uma empresa, seja de maneira direta, seja maneira indireta. Por isso, quando feita de maneira organizada e estruturada, a gestão fiscal contribui para o melhor controle e acompanhamento de resultados do negócio.

Isso acontece porque o setor fiscal e contábil configura uma importante meio de coletar dados e informações sobre a empresa, como gastos com assuntos tributários, faturamento anual, valores pagos e impostos para que mantenha as suas atividades em funcionamento e até mesmo se está pagando mais tributos do realmente precisa.

Dessa maneira, a gestão fiscal auxilia o gestor a ter uma visão completa sobre o que está acontecendo no negócio e não somente uma análise limitada, ou que deixa algumas informações importantes passar em branco.

Decisões acertadas

O processo decisório, para que seja eficiente e gere os resultados esperados, precisa ser embasado em dados reais, atualizados e confiáveis. Um erro muito comum ao traçar estratégias e decidir planos de ação é se orientar somente em previsões. Desse modo, você corre o risco de definir processos e mudanças que não seja beneficias ou não faça diferença na performance da empresa.

Ao contrário de projeções sem muitos fundamentos ou dados que possam ser mensurados, a gestão fiscal pode ser encarada como um recurso importante para as suas decisões. Um exemplo disso é quando se levanta as informações das notas fiscais da empresa.

Por elas, você terá ideia de quanto tem pago em impostos, qual está sendo o seu retorno financeiro, se é necessário modificar os preços praticados. Além, é claro, de identificar de onde está vindo o dinheiro da empresa e para onde ele está indo.

Economia nos tributos

A elisão fiscal é uma estratégia utilizada para reduzir os custos dos impostos pago pelas empresas, mas sempre de acordo com a lei. Isso acontece, por exemplo, quando se avalia o melhor regime tributário para a organização e participação em programas para negociar e facilitar o pagamento de impostos e taxas que estejam em atraso.

Nesse sentido, a gestão fiscal se torna necessária para levantar todos os valores que estão sendo pagos em tributos, quais deles podem ser minimizados e o melhor enquadramento de acordo com os resultados financeiros.

Dificilmente você terá essas informações atualizadas e de maneira confiável sem um bom acompanhamento e gerenciamento fiscal. Com isso, corre o risco de pagar mais do que realmente precisa e prejudicar o crescimento e lucratividade da empresa.

Adequação ao Fisco

Estar em dia com as contribuições e obrigações fiscais é um desafio para todo e qualquer empreendedor. Afinal, são mais de dez impostos, 34 taxas e diversas outras contribuições, sem contar as inúmeras obrigações acessórias que sempre sofrem modificações.

Em razão disso, os gestores recolhem os impostos de maneira inadequada e fora do prazo, sendo que o resultado disso é que 49% das médias empresas estão com inadimplências fiscais, enquanto 67% dos pequenos negócios e 27% das grandes organizações também apresentam algum tipo de pendência.

Esse é um cenário perigoso para as empresas e que pode até mesmo inviabilizar as suas atividades. Afinal, terá que arcar com multas e juros pesados, possibilidade de penhora de bens, perda de clientes e de oportunidades de crescimento.

Portanto, a gestão fiscal é uma maneira de ficar em dia com o Fisco e de organizar todas as suas obrigações tributárias. Em outras palavras, essa é uma estratégia indispensável para prevenir perdas financeiras e, principalmente, problemas com a Receita Federal.

Falar em obrigações tributárias e assuntos relacionados aos órgãos fiscais é coisa séria, pois está relacionado à legalidade das suas atividades e do futuro da sua empresa. Diante disso, a gestão fiscal é fundamental tanto para acompanhar e controlar assuntos fiscais quanto para prevenir problemas, gastos, prejuízos e penalidades por inadimplência tributária.

Agora, compartilhe esse post nas suas redes socais e mostre para outros empresários e seus seguidores como a gestão fiscal pode evitar dores de cabeça e até o fechamento da empresa.